Sábado, 22 de Agosto de 2009

DASKALOS E A EXOMATOSE (PROJEÇÃO ASTRAL OU EFC)

*



— Daskale — comecei —, outro dia tive uma conversa com Zoé sobre a natureza do misticismo e a relação entre corpo e mente. Ela diz que aceita a possibilidade da existência de fenômenos paranormais, mas não a idéia de que corpo e alma sejam duas realidades distintas. Talvez, esta noite, possamos começar nossa conversa por esse assunto.

Daskalos parecia muito bem disposto e dava a impressão de ter gostado de Zoé. Em outra ocasião, ele me disse que preferia discutir questões espirituais com ateus bem intencionados do que com pessoas fanaticamente religiosas. Com um ateu dotado de espírito crítico, explicou, pode-se ter uma conversa racional. O mesmo não ocorre com os supersticiosamente religiosos.

— Você sabe o que é matéria? — começou Daskalos, num tom dogmático, olhando intensamente nos olhos de Zoé. Sem esperar por uma resposta, continuou: — Você acha que os químicos, com suas fór­mulas elaboradas, sabem o que é matéria?
Para nós não existe matéria. Só existe a Mente. — Zoé fez diversas perguntas, tentando entender a linguagem de Daskalos e desafiando o seu descaso pela matéria.

— O que há de errado com a matéria? — protestou ela.

— Ter a matéria como mestre é ruim. Ter a matéria como servo é uma bênção — respondeu Daskalos e, por algum tempo, explicou o que ele entendia por matéria.


— Qual é a finalidade da matéria? — perguntou Zoé, que vencera sua reserva inicial em relação a Daskalos.

— Sua finalidade é fazer com que nós, como entidades eternas, possamos adquirir experiência. Trata-se de uma manifestação do Absoluto que nos possibilita o desenvolvimento da autoconsciência.


Daskalos, então, fez um resumo da sua filosofia sobre a natureza do Ser, a natureza do pensamento, os elementais, a diferença entre personalidade permanente e personalidade atual e assim por diante. Ele ex­plicou que a matéria não é o que parece ser. Pensamos que algo é sólido apenas porque vibramos na mesma freqüência que este objeto.

. . .

— Que prova tem — perguntou ela — de que o senhor possui uma alma e de que o mundo que descreveu para nós é real e não uma ilusão ou alucinação?

Aparentemente, a pergunta de Zoé era do tipo que Daskalos espe­rava e propiciou uma resposta prolongada. Eu tinha certeza de que não era a primeira vez que Daskalos se confrontava com tal pergunta.

— Talvez — disse Daskalos, após se recostar na cadeira com um sorriso nos lábios — o melhor modo de responder a esta pergunta seja contar algumas experiências pessoais.

— Certa vez, eu estava viajando de navio para a Grécia. Chovia muito e fui para a cabine me deitar. Saí do meu corpo. Expandi-me por todo o navio. Vi tudo o que se passava naquela embarcação. Vi o que acontecia na cabine do capitão, na cozinha, na sala de jantar, no con­vés. Então, pairei mais alto e me expandi por sobre uma área mais ex­tensa. Vi gaivotas seguindo o navio. Penetrei no oceano e lá observei vida. Experimentei o gosto do mar. Eu e o navio éramos um, Me expandi para mais longe e para mais alto e vi uma ilha à frente. Podia ver os mí­nimos detalhes da ilha, a água dos riachos, os coelhos correndo morro acima, as árvores. 0 navio, lá de cima, parecia uma caixa de fósforos. Imagine se ele afundasse e todos morressem afogados, o que teria acon­tecido comigo? Nada. Eu não sentiria coisa alguma. Foi isto, na realidade, o que Cristo quis dizer quando falou que aqueles que o seguissem não experimentariam o gosto da morte. Cristo costumava levar seus alu­nos aos bosques de oliveiras e lá* dava a eles exercícios e experiências em exomatose.
— Quando voltei ao meu corpo — continuou Daskalos —, saí da cabine e andei pelo convés. A chuva já tinha passado e o sol havia surgido. O capitão, um ateniense, estava lá, em pé, olhando para o ho­rizonte. Perguntei a ele se havia uma pequena ilha à nossa frente. "Sim, Daskale", respondeu, "a uns poucos quilômetros à frente. O senhor a viu?" Perguntei a ele, surpreso, como sabia o meu nome. Ele disse que seu irmão era meu aluno e que, por coincidência, ele trazia em sua cabine dois volumes mimeografados sobre minhas palestras. Mais tarde, passa­mos pela ilha que eu tinha visto em exomatose. Era igualzinha como eu a havia visto. — Daskalos parou de falar e dirigiu-se exclusivamente a Zoé.

— Agora, diga-me, é alucinação ou experiência verdadeira que confirma a realidade do meu mundo?


— Neste caso — comentou Stelios do canto onde estava —, o se­nhor pôde confirmar sua experiência porque o que viu estava no plano material. Como o senhor poderá confirmar experiências que não são des­te mundo, quando as pessoas com um entendimento comum não têm acesso a elas?

— Também é possível verificar o que você experimenta no nível psiconoético.


— É possível que duas pessoas tenham na dimensão psíquica ex­periências idênticas que possam ser confirmadas por ambas? É possível que elas vejam a mesma coisa? — perguntou Stelios, de novo.

— Elas podem ver a, mesma coisa de modos diferentes. Imagine que eu leve dez pessoas para olhar uma paisagem e depois as traga de volta e peça a elas que descrevam o que viram. Você acha que irão des­crever a paisagem do mesmo modo? Ou será que elas vão observar e notar o que mais lhes chamar a atenção? Elas verão a paisagem. Mas não a descreverão do mesmo modo, a menos que tenham interesses idên­ticos. Quando dois Pesquisadores da Verdade, com as mesmas preocupa­ções, se acham dentro de um subplano psíquico, eles vêem e observam, com muitos detalhes, a mesma paisagem. Neste caso, confirmamos a autenticidade das nossas experiências psíquicas que não podem ser com­provadas através dos cincos sentidos. — Nesse momento, Daskalos vi­rou-se para Zoé e começou a contar outra de suas experiências psíquicas.



. . .


— Há algum tempo — continuou ele —, um idiota me pediu emprestado o meu binóculo e o perdeu durante uma viagem às montanhas Tróodos. Depois de pendurá-lo num pinheiro, esqueceu-se em que árvore o tinha deixado e nem se deu ao trabalho de procurá-lo, entrou no carro, desceu até Nicósia e, com a maior das audácias, me comuni­cou: "Sabe, Daskale, aquele seu binóculo sumiu, desapareceu." Cha­teado com tamanha displicência perguntei: "O 'que você quer dizer com desapareceu?" O sujeito me explicou então que não conseguia absolu­tamente lembrar-se de onde o colocara. "Como não se lembra?", respondi exasperado. "Aquele binóculo é excelente e caro, desses que não.se acham mais hoje em dia." "Mas o que posso fazer, Daskale? Eu simplesmente o perdi." "Você tem de voltar e achá-lo", retruquei. "E como posso fazer isso?", perguntou-me, desconsolado. "Espere um pouco", eu disse. "Dei­xe-me descobrir onde ele está e então, você vai buscá-lo. Para onde você foi?", perguntei. "Fui a muitos lugares, Troodidissa, Platres, andei por toda a montanha. Fomos. . ." Interrompi sua exposição. "Posso desco­brir onde meu binóculo está porque minha aura está entranhada nele." Fechei os olhos. "Você passou por uma estrada assim e assado?", per­guntei. "Sim", foi a resposta. "Você subiu tal morro?" A resposta, afir­mativa, surgiu com relutãncia "...e eu não tinha nem papel... fui lá fazer esse trabalho e. . ." Daskalos riu às gargalhadas e continuou sua história.

— "Fui" — Daskalos continuou — "atrás do morro para que eles não me vissem enquanto eu fazia uma necessidade." A essa altura ele me interrompeu: "Não me diga mais nada. Não me diga que eu me limpei com pedras." Tranqüilizei-o: "Não me importa como você limpou o traseiro. O que me interessa é o meu binóculo, que você esqueceu pendurado naquele pinheiro. Você vai ter que ir imediatamente para lá e trazê-lo de volta." Ele prometeu: "O senhor tem absoluta certeza? Está bem, então eu vou." Entrou no carro, viajou cento e sessenta quilômetros para ir e voltar até as montanhas, subiu o morro, achou meu binóculo pendurado naquela árvore, e o trouxe de volta no mesmo dia. "Puxa vida", comentou ao chegar, "eu me esqueci que o tinha colocado lá."

Daskalos interrompeu a sua narrativa e disse, em voz baixa, que esses fenômenos não eram mais permitidos. Antes, admitiu ele, tais in­cidentes lhe escapavam e, com freqüência, causavam muitos problemas, especialmente com a Igreja.

— Como posso não me convencer? — continuou ele. — Esta é a minha vida, a realidade do meu dia-a-dia. Como pode alguém que não compartilhe experiências semelhantes me convencer de que o meu mun­do e a minha realidade são ilusórios? Qualquer um tem o potencial para tais experiências.

— Em ciência, Daskale — disse eu após alguns instantes —, um cientista pode verificar os resultados e as observações de outro cientista.. .
Daskalos compreendeu o que eu ia dizer e começou a responder à minha pergunta antes que eu completasse a sentença.

— Você também pode verificar essas experiências. Se não fosse assim, você não acreditaria. Estou falando de planos e subplanos psí­quicos. Não sou o único a falar sobre tais domínios. Outros vêem e ex­perimentam as mesmas coisas que eu. O trabalho que eu faço, outros também fazem. Pode ser que eles não se lembrem de tudo, mas lem­bram-se de muito. Você entende?

. . .


— Bem — disse ele —, isso isso é uma prova para mim? Não é uma confirmação da realidade da minha experiência? Você pode perguntar: Todos os que são capazes de exomatose consciente se lembram de suas experiências? Eu diria que uns lembram mais, outros menos. Para lembrar suas experiências completamente, você precisa de muita prática. Então, chegará a um estágio onde estará em pleno controle.

— Como alguém começa a desenvolver essas capacidades? — perguntou Stelios.


— Através de alguns exercícios de meditação.

— Por que eles são necessários? — insistiu Stelios.


— Diga-me uma coisa — respondeu Daskalos com uma pitada de ironia na voz: — É possível tocar violino sem praticar? Exatamente o mesmo se dá com o desenvolvimento dos poderes psiconoéticos de uma pessoa.

— Mas não se nasce com tais capacidades?


— Sim. Mas você precisa ter desenvolvido esses poderes de algu­ma forma, em algum tempo no passado. Se nasceu com tais capacidades, isso quer dizer que você as trouxe de vidas anteriores.

— Como se deve começar a praticar? — perguntou Zoé.


— Com concentração — disse Daskalos, vagarosa e enfaticamente. — Deixe-me fazer-lhe uma pergunta. Em quantas coisas você se concen­tra em sua vida diária usando toda a sua percepção? Em muito poucas. Quando você treina se concentrar, percebe muito mais coisas em sua vida. No início, você dedica um quarto de hora todos os dias. Nes­se intervalo de tempo, pode dar um passeio e reparar em tudo à sua vol­ta. Nada deve escapar à sua atenção. Nada. Pode ser que se sinta can­sado no início, porque não está acostumado a prestar atenção em tudo que o cerca, na formiga andando, nas flores, nos sons, nas vozes. Você percebe tudo, sente tudo. Ao começar este exercício, você nota que, durante aquele quarto de hora, vive muito mais plenamente, muito mais intensamente do que em qualquer outro momento da sua vida. Vai descobrir que o que se considera, em geral, estar acordado é, na realidade, uma forma de semi-hipnose. Vai descobrir que a sua percepção do mun­do aumentará dez vezes durante aquele quarto de hora. Você não cos­tuma reter na memória mais do que uma pequena fração das impressões do dia, recebidas no mundo da matéria densa. Por isso, quanto espera trazer e se lembrar de experiências que teve no mundo psíquico? Em conseqüência, a pessoa precisa começar a se exercitar no mundo de maté­ria densa e, então, continuar a se exercitar no plano psíquico. É uma questão de prática. Entende agora? O homem de hoje não sabe como viver, como se concentrar, como se expressar nos domínios da Criação. Você diria que uma pessoa que sabe como se concentrar é superior às outras? Não. Eu não o considero nem um pouco mais hábil do que uma pessoa que toca Paganini ao violino, ou Beethoven ao piano. É uma ques­tão de treino e prática. O "eu sou eu" da pessoa que vive na ignorância não difere daquele do místico. Você entende o que eu quero dizer? Não é uma questão de descobrir o "eu", mas de expressá-lo. Este é o propó­sito dos Pesquisadores da Verdade: descobrir quem você é e se expressar como deveria. Eu lhe digo, você não ficará nem maior, nem menor. O campo de visão, no que diz respeito a receber impressões, pode aumen­tar, mas você é como sempre foi.

Do livro "O Mago de Strovolos", de Kyriacos C. Markides

publicado por conspiratio às 19:23
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
1 comentário:
De Anónimo a 9 de Junho de 2010 às 14:20
Interesantissimo!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. NÃO AO MARCO CIVIL DA INT...

. INVASÃO CUBANA - PROGRAMA...

. PAPA FRACISCO: UM COMUNI...

. GOVERNO TEM PRESSA PARA C...

. FORO DE SÃO PAULO É O PRO...

. Yoani Sanchez dissidente...

. TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO E ...

. NOVA ORDEM MUNDIAL ESTÁ P...

. O DESEJO IRRESPONSÁVEL DE...

. COMUNISMO SE CURA COM VER...

. A HISTÓRIA SECRETA DE ANA...

. A CONSPIRAÇÃO DO FORO DE ...

. A LISTA DE CLINTON - ESTR...

. A EDUCAÇÃO MORREU?

. CAUSAS DO CAOS BRASILEIRO...

. CONSPIRAÇÃO DO FORO DE SA...

. A HISTÓRIA SECRETA DE ANA...

. ABORTISMO SENDO INSTALADO...

. NOVA ORDEM MUNDIAL ESTÁ P...

. TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO,

. O PROBLEMA É O FORO DE SÃ...

. ORVIL - TENTATIVAS DE TOM...

. CONSPIRAÇÃO CONTRA A CIVI...

. RITALINA E OUTRAS DROGAS ...

. O EX-REVOLUCIONÁRIO DOSTO...

. UM POUCO SOBRE ABDUÇÃO E ...

. FINS E MEIOS, BEM E MAL,...

. PRIORADO DE SIÃO E A NOV...

. SE NÃO INVESTIRMOS EM CON...

. CONGRESSO QUER MANDAR NO ...

. COREIA, NOVA ORDEM MUNDIA...

. BLOSSOM GOODCHILD E A NAV...

. AGRICULTOR EM GUERRA CONT...

. CONTRA A CAMPANHA CONTRA ...

. OPRIMIR O CIDADÃO COM LEI...

. MANIPULAÇÕES DA LÓGICA, D...

. EXTINGUINDO A PROFISSÃO D...

. KARL MARX , ADAM WEISHAUP...

. CONTROLE E MAIS CONTROLE ...

. UFO OU MÍSSEL ATINGE "MET...

. LÚCIFER E A REVOLUÇÃO

. HIPNOSE PELA TV - DAVID I...

. FORMAÇÃO DO IMBECIL COLET...

. VOAR É COM OS PÁSSAROS?

. OS BILDERBERGERS/ILLUMINA...

. QUEM MANDA NO MUNDO

. O ILLUMINATI OBAMA SE DÁ ...

. ARIZONA WILDER REFUTA DAV...

. QUEM MATOU AARON SWARTZ?

. AGENDAS DE DOMINAÇÃO GLOB...

.arquivos

. Abril 2014

. Novembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.tags

. 3 elites globalistas(6)

. a corporação(9)

. acobertamento(13)

. agenda illuminati(13)

. alex jones(8)

. amor(20)

. animais(29)

. arqueologia proibida(4)

. atenção(7)

. auto-realização(33)

. autoritarismo(7)

. bancos terroristas(8)

. benjamin fulford(5)

. bíblia(7)

. big pharma(12)

. bilderberg(8)

. budismo(24)

. calar a democracia(5)

. censura da internet(15)

. cérebro(22)

. codex alimentarius(15)

. comunismo(13)

. concentração(14)

. consciência(7)

. conspiração(94)

. conspiração antidemocrática(6)

. conspiração financeira(11)

. controle da informação(17)

. controle da internet(22)

. cura(25)

. daskalos(7)

. david icke(9)

. denúncia(10)

. depopulação(6)

. despopulação(8)

. deus(10)

. ditadura(14)

. ditadura através da mentira(6)

. ditadura através da saúde(11)

. documentários ufológicos(7)

. ecologia(35)

. educação(7)

. ego(25)

. engenharia social(9)

. ensonhar(11)

. eqm (experiência de quase-morte)(12)

. extraterrestre interferência(11)

. filosofia(6)

. globalistas(5)

. goldsmith(8)

. google(9)

. governo oculto(31)

. gripe suína(8)

. história(17)

. história da nom(5)

. illuminati(54)

. integração(9)

. internautas conheçam seu poder(6)

. internet censura(11)

. intraterrestres(8)

. jesus(8)

. krishnamurti(13)

. lei cala-boca da internet(5)

. liberdade(8)

. livre-arbítrio(6)

. manipulação da informação(13)

. manipulação da mente(8)

. manipulação das massas(8)

. medicina natural(10)

. mentecorpo(5)

. microchip(7)

. milton cooper(7)

. monsanto(6)

. movimento revolucionário(9)

. neurociência(20)

. nom(43)

. nova ordem mundial(83)

. obama(7)

. olavo de carvalho(31)

. poder da internet(5)

. poder da mente(97)

. poder das farmacêuticas(5)

. política(16)

. predadores da humanidade(16)

. problema-reação-soluçao p-r-s(7)

. profecias(9)

. project camelot(11)

. psicanálise(5)

. pt(9)

. rauni kilde(6)

. realidade(7)

. rockefeller(7)

. saúde(19)

. sonho lúcido(22)

. totalitarismo(9)

. totalitarismo global(9)

. ufo(46)

. universo(16)

. vida(31)

. xamanismo(15)

. todas as tags

.favorito

. NÃO AO MARCO CIVIL DA INT...

. INVASÃO CUBANA - PROGRAMA...

. PAPA FRACISCO: UM COMUNI...

. GOVERNO TEM PRESSA PARA C...

. FORO DE SÃO PAULO É O PRO...

. TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO E ...

. NOVA ORDEM MUNDIAL ESTÁ P...

. COMUNISMO SE CURA COM VER...

. A HISTÓRIA SECRETA DE ANA...

. A EDUCAÇÃO MORREU?

.links

.links

.EXPANDIR A CORRUPÇÃO É ESTRATEGIA REVOLUCIONÁRIA - OLAVO DE CARVALHO

.DAVID ICKE - PROBLEMA-REAÇÃO-SOLUÇÃO - a mais poderosa técnica de manipulação das massas

.EXPANDIR A CORRUPÇÃO É ESTRATEGIA REVOLUCIONÁRIA - OLAVO DE CARVALHO