Original em http://direitoshumanosmt.blogspot.com/2011/09/giba-sanecap.html

REPRESSÃO POLICIAL AOS MOVIMENTOS POPULARES, ASSIM COMEÇA A SEMANA DA CIDADANIA
 
TEXTO ESCRITO EM 01/09/2011 POR:
Gilberto Vieira – GIBA
CIMI MATO GROSSO
Mesmo não mais no governo FHC, que ganhou ‘fama’ com o documentátio “O Relógio e a Bomba” que demonstrava como a polícia bahiana repremiu a Marcha Outros 500, em 2.000, vemos ainda hoje, há poucas horas, o uso da força policial, desigual e covarde posta em prática.
Manifetantes que, com a maior das legitimidades e direito, se manifestaram desde ontem pela noite, acampando pela segunda vez, em menos de duas semanas, em frente a Câmara Municipal de Cuiabá foram duramente reprimidos pela ´tropa de choque da PM cuiabana.
Com cartas marcadas, lá dentro da Câmara, tinha inicio, a partir do projeto de lei encaminhado pelo prefeito Chico Galindo, a votação que privatizava a água em Cuiabá.
Do lado de fora, gritando ‘palavras de ordem’, manifetando-se pacificamente, exercendo o direito de manifetar o que mais de 70% da população quer – que a água continue um bem de todos, e que a Senecap seja revitalizada – estavam jovens, estudantes, funcionários da Senecap, movimentos organizados, fóruns e moradores de diversos bairros da cidade.
Como presente pelo exercício da cidadania, os manifestantes receberam gás pimenta, balas de borracha (não se iluda, doem e machucam), bombas de efeito moral. A tropa de choque de fato chocou, atirando na direção de jovens indefesos que só podiam correr. Varias pessoas foram atingidas pelas bombas ou pelos tiros. A tropa estava a menos de 20 metros e avançou até menos de 10 m.
Partilho um pouco (fotos) desta “aula de cidadania militar”, que ensina como a população pode participar das decisões que lhe digam respeito: correndo ou sangrando.
Ainda bem que “a ditadura já passou”…
Apesar da aprovação a luta popular continuará, como foi reafirmado na avaliação feita pelos participantes no local. Sinal de que não cessará a busca pela efetivação dos direitos, principalmente à água, neste momento, os manifestante entoaram um canto de resistência inspirado no Movimento Indígena: Pisa ligeiro, pisa ligeiro, quem não pode com a formiga, não acende o formigueiro!
Fotos de Gilberto Vieira (Giba)
CIMI MATO GROSSO